Melatonina para fins terapêuticos relacionados a problemas do sono é eficaz?

Melatonina para distúrbios do sono

Melatonina é um hormônio com uso descrito para melhora do sono e para variações de humor em pacientes com síndrome Kleine-Levin, sedação, para transtorno do sono decorrente do trabalho em turnos noturnos e para desordens do sono em geral. No entanto quais as evidências que embasam o seu uso em distúrbios do sono?

Em fontes terciárias é descrito que os benefícios da melatonina obtidos para distúrbios do sono em geral são limitados e inconsistentes. Porém a melatonina pode ser efetiva na síndrome do sono tardio (retardo do início do sono em 2h ou mais que o normal) em tratamento de curto prazo. Revisão da Cochrane® evidenciou este efeito em estudo onde pacientes que viajaram de avião e atravessaram de 2 a 4 fusos horário foram avaliados. Os resultados apontaram para boa qualidade do sono nos dias seguintes, com boa adaptação ao fuso.

Em revisão sistemática da Cochrane publicada em 2014, foi evidenciado que a melatonina prolonga em média o sono diurno em torno de 24 minutos, com intervalo de confiança de 95%, entre 9,8 a 38,9 minutos, comparado ao placebo, mas não melhora a qualidade do mesmo para pessoas que trabalham em turnos que alterem o ciclo circadiano.

Em outra revisão sistemática da Cochrane, publicada em 2016, é inferido que a melatonina 10mg não melhora problemas de sono em pacientes com demência.

Fonte: CIM-RS

Anúncios