Em pronunciamento na quarta-feira (5) de abril de 2017, a senadora Rose de Freitas (PMDB-ES) anunciou a apresentação de projeto que torna obrigatória a venda fracionada de medicamentos. A senadora observou que essa prática já é adotada em outros países, e que a venda fracionada de medicamentos evita desperdício, contribui para a economia, o bem-estar e a segurança do consumidor.

De acordo com o projeto, explicou Rose de Freitas, as farmácias e drogarias ficariam obrigadas a fracionar conforme o receituário do medicamento indicado, a partir de embalagens especialmente desenvolvidas para essa finalidade.

Resultado de imagem para medicamento fracionado

Não basta apenas determinar que as fábricas e indústrias façam isso. É preciso criar condições para fazer – disse.

Rose de Freitas salientou também que a decisão relacionada ao assunto que foi adotada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) não prevê a obrigatoriedade no fracionamento da venda de medicamentos.

Colaboração: Comissão de Indústria Farmacêutica do CRF-PR
Fonte: Senado Federal

Anúncios