O novo exame será mais preciso, evitará falsos positivos e não submeterá a mulher à radiação.

Equipamento revolucionário para diagnóstico do câncer de mama

O novo exame será mais preciso, evitará falsos positivos e não submeterá a mulher à radiação. [Imagem: University of Twente].

Fotoacústica e ultrassom

Engenheiros e médicos da Universidade de Twente (Holanda) estão chefiando um consórcio europeu para aperfeiçoar um novo aparelho de imagem para o diagnóstico do câncer de mama.

O novo equipamento não apenas permitirá capturar imagens por ultrassom e fotoacústica, como também será capaz de combinar as imagens geradas pelas duas técnicas.

As técnicas atuais para a detecção do câncer de mama – a mamografia de raios X, o ultrassom e a ressonância magnética (MRI) – têm deficiências, a principal delas sendo que nem sempre é possível distinguir claramente um tumor de um tecido saudável ou de uma anomalia benigna, de modo que, ou tumores não são detectados, ou há falsos positivos além do aceitável.

Mamografia sem radiação

O novo aparelho deverá diminuir substancialmente o tempo necessário para um diagnóstico preciso, e também será apropriado para mulheres mais jovens, para as quais a mamografia de raios X geralmente não tem um bom desempenho.

Outra grande vantagem é que o aparelho não usará radiação e nem meios de contraste, que apresentam riscos potenciais, e não causará qualquer dor para a mulher.

“As imagens das duas técnicas serão combinadas. Isto irá resultar em informação tridimensional simultânea sobre o contraste óptico específico da doença, bem como sobre as propriedades do ultrassom, que fornecem informação anatômica dentro da mama. Além disso queremos fazer isso combinando as imagens em tempo real,” disse o professor Srirang Manohar, responsável pelo projeto

A União Europeia acaba de conceder um financiamento equivalente a R$15 milhões para a construção do protótipo do aparelho, que os pesquisadores esperam colocar no mercado em quatro anos.




Fonte: Diário da Saúde

 

Anúncios