Dados recentes do Ministério do Trabalho mostram que acidentes de trabalho no Brasil no setor da saúde aumentaram.

Acidente de trabalho pode acontecer em qualquer segmento da economia, mas em alguns setores ele é mais comum, como na construção civil, transporte de cargas e na saúde. Segundo os dados mais recentes do Ministério do Trabalho e Previdência Social, divulgados em maio de 2016, houve uma redução dos acidentes de trabalho entre 2013 e 2014: de 725.664 em 2013, o número caiu para 704.136 em 2014. No entanto, no setor da saúde, o número aumentou de 71.050 para 74.276 casos.

Não apenas por conta desses dados, mas também com base nas particularidades do segmento, há dez anos o Ministério do Trabalho e Emprego criou a Norma Regulamentadora de Segurança e Saúde no Trabalho em Estabelecimentos de Saúde. A chamada NR32 estabelece medidas de proteção e segurança à saúde dos trabalhadores que atuam em qualquer serviço de saúde, e tem o objetivo de prevenir os acidentes de trabalho.

“Os hospitais que querem se tornar referência e conquistarem a preferência dos pacientes estão buscando acreditações que o diferenciem dos demais. Utilizar produtos com dispositivos de segurança é um desses diferenciais”, afirma Dra. Denise Franco, Coordenadora do Departamento de Novas Tecnologias de Sociedade Brasileira de Diabetes – SBD. Ela observa um movimento por parte dos hospitais de transmitir mais segurança tanto para o profissional quanto para o paciente. “Hospital é um ambiente onde há doenças e esta instituição precisa garantir um procedimento com cuidados extras para que um paciente não saia de lá com uma nova patologia. Ela lembra ainda que dispositivos safety garantem um descarte mais seguro.

De olho nesta tendência que tem a segurança como foco, a indústria vem se adequando a regulamentação da NR32 e lançando produtos com dispositivos de segurança. Um exemplo que já está disponível para atender profissionais que atuam em hospitais é a BD AutoShield™ Duo 5mm, da BD, empresa norte-americana de tecnologia médica. Primeira no mercado com dupla proteção e com tecnologia patenteada pela BD, a agulha tem 5mm e é utilizada em canetas para aplicação de insulina em pacientes diabéticos que estejam internados. O tratamento do Diabetes feito com canetas é mais seguro e tem se tornado cada vez mais popular. Além disso, as novas insulinas têm sido lançadas em caneta. No Brasil, em 2015, eram 14 milhões de diabéticos, segundo a International Diabetes Federation.

Resultado de imagem para BD AutoShield Duo™ 5mm

O desenvolvimento da BD AutoShield Duo™ 5mm nasceu a partir de uma demanda crescente por parte dos hospitais por mais segurança para seus colaboradores. A agulha possui acionamento automático nas duas extremidades, impossibilitando o contato do profissional tanto com a ponta que foi inserida na pele do paciente, quanto com a ponta que conecta a agulha à caneta. Com apenas 5mm, ela dispensa a prega cutânea, facilitando a aplicação. Para pacientes com fobia de agulha, ela é a opção ideal pois a agulha não fica exposta, nem antes da aplicação e nem depois. Pode-se destacar ainda mais duas vantagens: redução no risco de contaminação e impossibilidade de reuso da agulha.

Fonte: Revista Hosp

Anúncios