cc3b3digo-de-c3a9tica

A Ética Farmacêutica com seus princípios e valores.

Falar de ética significa desenvolver seus afazeres e tarefas com respeito, disciplina e convicção intelectual. Seja nas atividades com amplitude de ações, ou mesmo, nas suas peculiaridades de execuções. A ética precisa ser enaltecida e eternizada em nossas atitudes e comportamentos, como a conservadores de princípios e valores morais. Vivemos em um meio social, em que os valores têm perdido seus princípios e ordem de peso, e os princípios têm deixado de lado suas definições e sentidos. Agir, viver, desenvolver as fases da vida no âmbito profissional não levando em consideração a ética, pode trazer à memória de um profissional, a inquietude de consciência, a perturbação da injustiça, e os zunidos da ação comportamental incorreta em prol da vida.

No meio social, atitudes como tais traz consequências de cunho filosófico, moral, psicológico e outros mais. Tendo em vista nossos conceitos técnicos e científicos, humanos e profissionais, todos com o intuito da “promoção, prevenção e recuperação da saúde”, agir sem valores éticos farmacêuticos, assemelha-se a não melhora daqueles que precisam, significa não contribuir para a paz física e psicológica dos que foram em busca de informações e orientações clínicas, é o mesmo que deixar que a saúde pública torne em meio ao desenrolar do tempo, insignificante na sua missão.

O Profissional farmacêutico tem adquiro seu conceito acadêmico e respeito clínico, pelas batalhas traçadas, destaques e resultados plausíveis. Precisamos avançar não submetendo-se a flexibilidades desleais, onde o farmacêutico se inferioriza por valores irrisórios e injustos. Levando em consideração um nível cultural significante e superior, é obrigatório o desenvolver das atividades com jus a qualificação profissional. Para tanto, há compêndios oficiais que regem, aparam, e norteiam a profissão farmacêutica. Dentre eles, quero ressaltar a literatura que solidifica e fundamenta nossas atividades, o Código de Ética da Profissão Farmacêutica. Notório é a inobservância e o desinteresse na verificação das diretrizes contidas nesse código, por parte de um relevante número de profissionais farmacêuticos.

Reiteramos a importância da leitura e analogia da classe farmacêutica, da Resolução n° 596 de 21 de Fevereiro de 2014, que dispõe sobre o Código de Ética Farmacêutica, o Código de Processo Ético e estabelece as infrações e as regras de aplicação das sansões disciplinares.

Quando não há leitura, a classe fragmenta-se. Não havendo disciplina, conhecimento e habilidades, os resultados tornam-se insatisfatórios. A inobservância e desatenção do Código de Ética Profissional geram sanções disciplinares, regresso categórico, perca de espaço profissional e acima de tudo, prejuízos de saúde física, consequências reversíveis ou mesmo irreversíveis, e a inacessibilidade de tratamentos farmacoterapêuticos eficientes, humanizados e esperançosos para aqueles que necessitam.

Dr.Rodrigo Lima dos Santos Pereira

Presidente da Comissão de Ética Disciplinar

Conselho Regional de Farmácia do Distrito Federal




Fonte: CRF-DF

Anúncios