Como_identificar_uma_receita_falsa.jpg.jpeg

Vários remédios não podem ser adquiridos sem receita médica. Isto acontece porque estes medicamentos precisam de uma criteriosa avaliação profissional antes de serem prescritos aos pacientes, já que seus princípios ativos podem ter efeitos negativos no organismo da pessoa. Desta forma, a receita assegura que o indivíduo que está comprando o medicamento terá uma boa medida terapêutica para sua doença, já que ela é bem indicada para o seu caso.

Entretanto, é comum que pessoas tenham acesso a receitas falsificadas, que são fornecidas sem nenhum tipo de acompanhamento médico adequado e podem trazer danos sérios a saúde. Por isso, fizemos este post para mostrar a você qual a melhor forma de identificar uma receita falsa e o que fazer caso isso aconteça. Confira!

Remédios controlados

As receitas mais falsificadas são aquelas de medicamentos controlados, que têm sua oferta rigidamente fiscalizada pelos órgãos públicos de saúde, justamente por trazerem mais riscos de efeitos colaterais danosos aos pacientes.

Alguns deles são os psicotrópicos (medicamentos que induzem o sono e reduzem a ansiedade), os antibióticos, os moduladores de apetite (que reduzem a vontade de comer e são muito procurados por pessoas que querem emagrecer) e os anabolizantes hormonais (que aumentam a massa muscular do indivíduo).

É importante lembrar que estes medicamentos, quando consumidos sem nenhum acompanhamento médico, podem causar falência irreversível de órgãos, overdoses e morte dos usuários.

Crime comum

A falsificação de prescrições é crime grave e é passível de pena na cadeia. Entretanto, muitos vendedores ambulantes oferecem receitas falsas e atestados médicos ilegais em locais de grande movimentação, onde encontram muitos clientes dispostos a comprar estes documentos.

A clonagem das receitas acontece quando o falsificador tem acesso ao nome completo de um médico e o número de seu registro no CRM (Conselho Regional de Medicina), o que possibilita a criação de carimbos que dão uma falsa aparência de legalidade aos documentos impressos.

Normalmente, estes criminosos não possuem nenhuma formação na área da saúde e fazem isto com objetivos primariamente financeiros, enganando e colocando várias pessoas em risco. Médicos sem licença também utilizam este processo para continuarem a fazer seus atendimentos fora da lei.

Identificação de uma receita falsa

Profissionais farmacêuticos devem estar muito atentos aos detalhes mínimos das prescrições para garantir que estas têm boa precedência médica e legal. A linguagem e terminologia utilizadas devem ser corretas e alinhadas com os protocolos de saúde mais atuais.

O nome correto do medicamento, assim como sua dose, apresentação e via de administração, tudo isso deve estar de acordo com os tratamentos mais usuais. O nome completo do médico e do paciente também deve ser conferido, bem como o endereço do local de emissão da prescrição. Por fim, é importante observar a qualidade da folha e de sua impressão, a data de emissão e a presença dos carimbos oficiais asseguram que aquela receita é verdadeira.

Caso qualquer destes detalhes esteja em desacordo com as normas de prescrição oficiais, a receita deve ser imediatamente negada e o consumidor deve ser orientado a retornar a seu médico para que esclarecimentos sejam feitos. Se o documento tiver grandes chances de ser falsificado, a agência de vigilância sanitária mais próxima deve ser contatada no ato.

Você acha que agora é capaz de identificar uma receita falsa?




Fonte: MultCloud

Anúncios