genomica

Apesar de essencial ao nosso organismo, o oxigênio produz espécies reativas, mais conhecidas como radicais livres.  Altamente tóxicos para as células, eles podem causar danos por afetar muitas moléculas orgânicas, como os lipídeos, as proteínas, os carboidratos e as vitaminas presentes nos alimentos.

As espécies reativas de oxigênio são tão prejudiciais que podem estar associadas à origem e evolução de várias doenças.

Dieta-antioxidanteNosso organismo possui mecanismos de defesa antioxidantes que limitam os níveis de radicais livres dentro das células. Eles contribuem para impedir a indução de danos. Agentes responsáveis pela inibição e redução das lesões causadas pelos radicais livres nas células, os antioxidantes podem ser encontrados em vários alimentos.

Algum deles:

  • Vitamina C – frutas cítricas, laranja, limão, mamão, morango, uva, kiwi,
  • Vitamina E – óleos vegetais
  • ß caroteno – vegetais amarelos
  • Flavonoides – brócolis, vinho tinto
  • Selênio – castanha do Pará

Doenças de origem – estresse oxidativa

neuronio-alzheimer-idosoHá pouco tempo foi divulgado que várias doenças podem ser associadas ao estresse oxidativo, entre elas a doença de Parkinson e Alzheimer.  Os tecidos de pacientes que morreram destas desordens neurodegenarativas, revelaram que houve aumento desses radicais nas regiões cerebrais afetadas. Apesar de não ser comprovado que os radicais livres contribuíram para o desenvolvimento da doença, eles estavam presentes nestes tecidos.

Podemos citar outras doenças relacionadas à presença de radicais livres:

  • Câncer,
  • Diabetes,
  • Aterosclerose,
  • Deficiências imunológicas, dentre outras.

Para prevenir estes e outros problemas de saúde, é importante que exista sempre a preocupação de oferecer em nossa mesa, uma alimentação balanceada,  rica em frutas, vegetais, grãos, carne magra, legumes, ovos e leite.

Anúncios