Depois de participar de várias discussões farmacêuticas verifiquei que os farmacêuticos estão com muita dúvida sobre como iniciar um serviço de farmácia clínica.

A clínica é bem complexa, e implementar um serviço novo cujos benefícios ainda são mistério para a equipe multiprofissional, pacientes e clientes é um desafio muito grande.

Após implementar um serviço de farmácia clínica inúmeras vezes, meus colegas e eu concordamos que alguns passos são fundamentais.
Vamos enumerar alguns passos fundamentais para a implementação:

PASSO 1 – QUEM IRÁ FAZER?

Olhe para os seus funcionários e os farmacêuticos que estão na sua equipe. Verifique quem tem mais comprometimento, disciplina e quem não se importa em encarar desafios.

Se você é um farmacêutico assim, você conseguirá fazer a clínica.

Verifique se o quadro de funcionários é adequado e suporta os serviços do local e que deslocar pelo menos um de suas funções não trará uma imagem negativa para a clínica, afinal, não queremos “queimá-la” logo no início.

PASSO 2 – TEMPO DE DEDICAÇÃO

Após verificar o quadro de funcionários e quem você consegue retirar da chamada dispensação para a clínica, verifique qual o tempo que essa pessoa poderá se dedicar.

Lembrando que, uma vez que você prometa um serviço clínico e um horário específico para visitas multiprofissionais ou consultas, não poderá usar como desculpa que a dispensação precisou mais de você naquele momento. Se comprometa.

Tenha consciência que se você colocar a dispensação em primeiro lugar após oferecer clínica para aquele horário, você irá mostrar que a clínica não é tão importante assim e as pessoas não vão levar seu serviço a sério.

PASSO 3 – OBSERVAÇÃO DAS NECESSIDADES

Verifique quais são as necessidades do seu ambiente de trabalho com relação à clínica. Número de leitos, unidades mais críticas, tipo de cliente de sua farmácia, frequência de retorno, etc… Faça um levantamento dos erros mais comuns relacionados a medicamentos que você encontra. O ideal seria fazer esse levantamento em 2 semanas no mínimo e máximo 1 mês.

Documente tudo que encontrar. Alguns serviços você verifica muitas reações adversas, outros mais interações medicamentosas, outros falta de adesão do paciente… e assim vai.

A partir dos dados coletados, estruture um serviço voltado para esses problemas mais frequentes, assim o seu serviço clínico obterá maior visibilidade em pouco tempo.

PASSO 4 – APRESENTAÇÃO DA PROPOSTA

Não adianta chegar nas unidades hospitalares ou colocar uma placa na sua farmácia falando que a clínica começou. Você terá que explicar a todos do que se trata.

Chame as equipes do hospital para uma reunião, explicando que você irá começar a fazer a farmácia clínica para apoiar e melhorar o estado de saúde dos pacientes e que conta com a ajuda de todos. Mostre os dados que você coletou no passo 3 e como seu serviço contribuirá para resolver esses problemas.

Mesmo que a ordem da implantação da clínica venha de cima, é importante fazer essa reunião para mostrar que você está levando a sério.

Fale da disponibilidade de horário e o tempo que você irá se dedicar a esse serviço. Caso seja cobrado a realizar mais, não tenha vergonha de falar que o quadro de farmacêuticos ainda não é suficiente. Você estará sendo transparente e pode ganhar mais funcionários.

No caso das farmácias, procure fazer panfletos explicativos, pequenas palestras são interessantes. Alguns farmacêuticos fazem visitas a alguns médicos explicando o serviço novo. Durante uma consulta, faça uma carta de apresentação para todos os profissionais de saúde envolvidos no cuidado do seu cliente.

PASSO 5 – SAIBA SEUS LIMITES

Mostre para a equipe e outros profissionais que você não irá tomar o lugar de ninguém e não será um fiscal ou analista. O seu serviço deve preencher e melhorar o serviço geral. Para isso, tenha consciência dos seus limites e conheça o que cada profissional faz. Um enfermeiro, psicólogo, médico têm suas funções específicas e seus limites na atuação sobre a saúde de um paciente. O farmacêutico também.

Não tente identificar uma doença, fazer procedimento ou ajudar em questões psicológicas profundas. Saiba o que você faz. Farmacêutico identifica PRM (Problemas relacionados a medicamentos) e não doenças! Não tenha medo de encaminhar seu paciente para outros profissionais, isso mostra profissionalismo.

PASSO 6 – MÉTODO CLÍNICO

Escolha um método clínico para estudar e fundamentar a sua anamnese.

Você tentar fazer isso sozinho, irá dar um nó na sua cabeça. Os métodos clínicos existentes demoraram mais de 10 anos para serem estruturados.

Os mais utilizados são o Método Dáder e PWDT.

PASSO 7 – FERRAMENTAS

Sente e elabore todos os seus formulários de coleta de dados.  Eles serão seus documentos. Toda clínica deve ser documentada, porém, estes formulários devem ser fáceis de utilizar e que te ajude a ter uma visão melhor sobre os casos. É recomendado que para cada paciente você utilize um formulário inicial de no máximo 2 folhas, mais que isso, você se perde e cansa seu paciente/cliente.

Ou seja, seu formulário deve ser estratégico, rápido e certeiro.

No hospital ou ambulatório não se apegue muito a preencher dados pessoais, eles já estão nos prontuários. Já em consultórios, você deverá considerar um preenchimento completo.

PASSO 8- TENHA UM COMPUTADOR PARA ISSO.

Não tem como dividir o computador da clínica com o computador da dispensação. Você precisa de calma e tempo para investigar seus casos.

PASSO 9- ESTUDE

Se você quer fazer a clínica, não adianta achismo ou google. Você terá que ler artigos científicos. Treine seu inglês e estude medicina baseada em evidências. Aqui no blog falo um pouco sobre pesquisas científicas. Se você não fizer pesquisas corretas, você perde credibilidade, lidamos com vidas e um erro já basta.

Mesmo que seja absurda aquela terapia a ser apresentada na prescrição, estude primeiro antes de apontar o erro.

Entre no site do PUBMED, lá existem tutoriais sobre como fazer uma pesquisa adequada.

Atualização sempre é bem-vinda!

PASSO 10- FOCO NO PACIENTE

O foco agora é o paciente e não o medicamento. Pode parecer óbvio, mas os maiores erros dos farmacêuticos são resultados dessa visão distorcida.

Toda a equipe possui foco no paciente, você tem que ter a mesma visão para falar a mesma língua durante as discussões de caso.

Se você não enxergar seu paciente e suas necessidades, os problemas relacionados a medicamentos serão mascarados e suas intervenções podem mais afetá-lo que ajudá-lo.

Seguindo esses passos garanto a vocês que irá dar certo! Porém, não será fácil!

O sucesso é proporcional à sua dedicação!

Boa Sorte!




Fonte: Inshigt Farmacêutico

Anúncios