Não basta apenas ser muito bom naquilo que você faz, a sua personalidade e o seu modo de fazer contam muito no momento da entrevista, para que você esteja alinhado com a cultura da empresa caso haja uma contratação.

1) Recrutadores utilizam a técnica de Seleção por Competências

Seleção por competências, ou avaliação de competências tem se tornado muito popular como técnica nas entrevistas de emprego.

Funciona da seguinte forma: as empresas determinam um grupo de competências (capacidades, expertises), baseadas em sua cultura de trabalho, e que seus funcionários devem possuir de modo geral. Ou seja, durante a entrevista, o recrutador avalia através de perguntas específicas se você se enquadra dentro das competências estipuladas. Geralmente, as empresas compartilham as informações sobre as competências apenas com seus funcionários, porém é possível ter uma ideia de qual é a cultura geral de determinada empresa por meio de pesquisas simples, estudando sua missão, visão, valores etc que costumam estar em seus sites.

Então, não basta apenas ser muito bom naquilo que você faz, a sua personalidade e o seu modo de fazer contam muito no momento da entrevista, para que você esteja alinhado com a cultura da empresa caso haja uma contratação. A empresa buscará sempre manter um padrão de funcionários. Não significa que você precisa ter todas as competências estipuladas pela empresa, mas pelo menos algumas delas devem estar dentro do seu perfil.

2) Conhecer a Missão, Visão e Valores pode mudar o rumo da entrevista

Estudar sobre a empresa antes da entrevista de emprego pode garantir a sua vaga. Através de uma busca simples na internet, é possível descobrir a Missão, Visão e os Valores da empresa que irá te entrevistar. Leia atentamente e, durante a entrevista, ao responder as questões, ressalte palavras chaves que se encaixam com a cultura daquela empresa, mostrando ao entrevistador que os valores do local são os mesmos que o seu. Não se trata de recitar os valores, ou a missão, mas sim de incorporá-los às suas respostas dentro do contexto da entrevista, de forma sutil e sincera.

3) A questão “Cite um defeito e uma qualidade” é muito mais importante do que você imagina

Parece um clássico das entrevistas de emprego, mas o significado por trás da pergunta “cite um defeito e uma qualidade sua” vai muito além do clichê. Ser sincero e sair de casa já pensando nessa resposta são pontos cruciais na garantia da vaga. Quando você fala sinceramente um defeito seu significa para o recrutador que você tem um bom autoconhecimento e está ciente sobre um ponto de melhoria no seu modo de agir. Isso quer dizer que você tem capacidade o suficiente para entender sobre si mesmo, controle sobre seu próprio comportamento e o mais importante: resiliência (flexibilidade) para mudar o que não está bom. Por exemplo, se você acha que você é uma pessoa muito fechada, gosta de trabalhar sozinho e acredita que isso pode ser um defeito que atrapalhe seu processo de trabalho, fale sobre ele. Elabore, explique que esse é um ponto que você observou não ser muito bom e que pretende melhorá-lo. Sobre a qualidade, pense nos valores da empresa. O que você tem de melhor que pode se encaixar em algum deles? Cite-o na entrevista. Ética é um dos valores da empresa e você se considera uma pessoa que age sempre baseado em ética? Ótimo, fale sobre isso.

4) Sua Postura, roupas e jeito de falar também são avaliados

Sim, cada detalhe conta e parece que você já está cansado de saber desse item. Mas alguns pontos sempre devem ser ressaltados.

Cabelos bem cortados, alinhados, limpos, unhas arrumadas, limpas, curtas, roupas discretas, limpas e passadas fazem muita diferença tanto para homens quanto para mulheres. Sua aparência é o seu cartão de visitas, é a primeira coisa que você tem a dizer sobre você mesmo. Ser bem cuidado e asseado significa que você também é assim em outros aspectos da vida. Ser o contrário disso vai passar uma impressão extremamente negativa. Ter uma postura aberta, autoconfiante, mas humilde o suficiente para mostrar atenção e interesse no que a pessoa a sua frente está dizendo também é essencial. Usar um tom de voz sereno, contudo assertivo, sentar-se de forma que não deixe o nervosismo ou a timidez se sobressaírem pode mostrar um autocontrole muito positivo. Seu jeito de falar também será avaliado. Faça um treino em casa antes de ir à entrevista. Converse com alguém, tente não gaguejar, não falar muito pausadamente, nem muito rápido demais. Observe a si mesmo: você costuma falar muitas gírias? Fala sempre rápido demais sem terminar as frases? Ou fala devagar demais? Quando está nervoso, tem alguma mania que te atrapalha em se expressar e se fazer entender pelos outros? Adquira um autoconhecimento prévio e treine com antecedência para evitar qualquer mal entendido durante a entrevista.

5) Sinceridade tem limite SIM

Todos que dão dicas sobre entrevistas de emprego sempre ressaltam a importância da sinceridade. Contudo, ela tem limites e deve ser usada com bastante sabedoria. Tenha “jogo de cintura” para se sair de situações em que a sinceridade pode te comprometer.

Use-a a seu favor. Por exemplo, em muitas entrevistas os recrutadores questionam o que você gosta de fazer aos finais de semana, ou por quais motivos você saiu do seu último emprego. Por mais que seu hobby nos dias de folga seja abusar do álcool com seus amigos ou você tenha saído do último emprego por causa de um chefe mala, não é isso que será dito e nem com essas palavras na entrevista. Existem diversas formas de dizer a verdade com palavras bem colocadas e ocultando partes constrangedoras ou que possam causar uma impressão negativa. Diga da seguinte forma: “aos finais de semana, gosto de me reunir com amigos” e “saí do meu último emprego, pois estava em busca de novos desafios”, ou até mesmo “não havia mais como crescer profissionalmente na posição que eu ocupava em meu último emprego. Estou em buscar de aprender mais e desenvolver novas competências.” Só nessa resposta, já deixa uma dica de que você não é uma pessoa acomodada e que está sempre em busca de crescimento.

É importante lembrar que todas as perguntas feitas em uma entrevista tem um porquê de serem colocadas e servem para conhecer melhor a pessoa que irá preencher a vaga, para que a empresa não tenha gastos com uma contratação que não irá durar por bastante tempo, seja por uma falta de adaptação do funcionário à empresa ou da adaptação da empresa com o novo funcionário.

Suas respostas às questões colocadas, devem ser tão estratégicas quanto as próprias perguntas. Use respostas a perguntas simples para “se vender” não apenas como bom profissional da área, mas como O Profissional ideal que a empresa está procurando: com um bom conhecimento do trabalho a ser realizado, mas também que esteja adequado ao perfil da empresa.

Gabriela Lembo – Psicóloga Clinica formada pela PUC – SP, possui experiência em Recursos Humanos, trabalhou em empresas como Sascar e GOL Linhas Aéreas e atualmente cursa Mestrado, também pela PUC.

Anúncios