Não é fácil diagnosticar se uma ferida está infeccionada antes de elas se tornarem uma desagradável machucado cheio de pus. Sem contar nos médicos que por precaução já mandam o paciente tomar antibiótico antes de saberem, de fato, o que está acontecendo. Um novo tipo de curativo que fica verde ao notar a ação de bactérias pode ajudar a mudar isso.

Criada pelo professor de química Toby Jerkins, da Universidade de Bath, o novo “curativo inteligente” — embora não tenha sido testado em muitos humanos — pode servir como um diagnóstico antecipado, permitindo que médicos e pacientes detectem infecções antes que fiquem descontroladas. O mecanismo por trás do curativo é bem esperto: ele contém um material em gel com pequenas cápsulas verde-fluorescente. Quando o gel entra em contato com toxinas produzidas por bactérias patogênicas, essas cápsulas são acionadas. E voilà, um sinal verde é emitido indicando a presença de micróbios indesejáveis.

[MIT Tech Review]

Anúncios