“As perspectivas para pessoas com leucemia têm melhorado drasticamente desde a introdução de medicamentos como o Imatinibe, mas para alguns pacientes essas drogas nem sempre são eficazes”, afirmou Peter Johnson, chefe clínico da Cancer Research UK.