“Sem crise não há mérito.É na crise que se aflora o melhor de cada um.Falar de crise é promovê-la, e calar-se sobre ela é exaltar o conformismo.Em vez disso, trabalhemos duro.Acabemos de uma vez com a única crise ameaçadora, que é a tragédia de não querer lutar para superá-la.” – Albert Einstein

Uma crise é uma mudança brusca ou uma alteração importante no desenvolvimento de um qualquer evento/acontecimento. Essas alterações podem ser físicas ou simbólicas. Crise também é uma situação complicada ou de escassez.

Uma pessoa pode atravessar diversas crises. Uma crise de saúde ocorre quando se passa por uma mudança importante no decorrer de uma doença. Por exemplo: “O paciente acabou por falecer depois de sofrer uma crise cardíaca”.

Chama-se crise de nervos quando uma pessoa perde o controlo das suas emoções, geralmente perante uma situação de stress: “A mãe da vítima sofreu uma crise de nervos assim que tomou conhecimento da trágica notícia”.

Outro momento de crise para uma pessoa costuma aparecer quando alcança uma certa idade, como a crise dos 30 anos ou a crise dos 50 anos: “Já estou com 40 anos, mas ignoro o que é isso da crise dos 30”.

As crises sociais, que transcendem uma pessoa, dão-se por um processo de alterações que ameaça uma estrutura. Essas alterações geram incerteza, uma vez que não se consegue determinar as suas consequências. Sempre que as alterações sejam profundas e derivam em algo novo, trata-se, nesse caso, de uma revolução.

Neste agosto de 2015 sobretudo no Brasil a crise financeira se instalou, dólar em alta, desemprego, problemas políticos ajustes de contas, de fato, dizem que é a pior crise financeira dos últimos 12 anos, o varejo sofre com a situação, o que repercute cedo ou tarde na drogaria e farmácia.

As crises são inevitáveis, e a historia nacional vive a refrescar nossas mentes,  portanto devemos (ou deveríamos) estar sempre preparados para minimizar o desgaste causado por uma crise. Vamos listar 5 dicas básicas para você .


1. Tenha uma poupança de 6 meses
É muito importante ter uma poupança que seja equivalente a pelo menos 6 vezes o valor do seu salário atual. Desse modo, se você perder seu emprego ou trabalho, conseguirá se manter por alguns meses até conseguir outra fonte de renda.

2. Mantenha-se estudando
Não pare de estudar depois de completar a faculdade. Continue fazendo cursos e se aperfeiçoando na sua área. Isto pode tornar você indispensável para a empresa em que trabalha, e caso seja demitido, não será muito difícil conseguir outra alocação em alguma outra empresa.

3. Mantenha os contatos
Uma ótima forma de minimizar os efeitos de uma crise é ter uma boa rede de relacionamentos pessoais. Ou seja, faça muitos amigos nas empresas por onde passar, pois no momento de crise há empresas mandando embora e outras contratando. Então não feche as portas quando sair dos trabalhos através de bons relacionamentos.

4. Desenvolva novas habilidades
Se você está num momento de crise e não vê saída, lembre-se das coisas que você realmente gosta de fazer. Talvez uma dessas coisas possa ser a saída para seu desespero. Existem inúmeras pessoas que em momentos de crise abrem empresas de fabricação de salgados, comida, artesanato e se tornam um grande sucesso.

5. Valorize-se sempre
As outras pessoas só valorizam o que tem valor ou o que parece ter valor. Valor e dinheiro são coisas distintas. Pode-se ter valor sem ter muito dinheiro. Desse modo, se você acredita que tem valor, mostre aos outros o seu valor e logo esse valor irá se transformar em dinheiro para você mesmo.
Acreditamos que com essas dicas simples, futuras crises e demissões poderão ser superadas com maior facilidade.


Fonte: Conceito de & Finanças Pessoais, com adaptações do blog.


Saudações Farmacêuticas e até o próximo post!

16105_884992771563339_878131978106998776_n

Anúncios