pf_iStock_000062465012_Medium

O Papilomavírus humano (HPV) é um agente transmissor de uma doença sexualmente transmissível (DST), que causa condiloma acuminado, conhecido popularmente como crista de galo, verruga genital e/ou figueira. Atualmente, existem mais de 100 tipos de HPV conhecidos, sendo que alguns deles podem causar câncer, como de colo do útero e de ânus. A infecção causada pelo HPV é muito comum e nem sempre resulta em câncer ao portador do vírus.

Papilomavírus humano (HPV). Fonte: http://www.hhmi.org/news/new-technique-mass-produce-human-papillomavirus-may-lead-gains-against-cervical-cancer
                                                   Papilomavírus humano (HPV). Fonte: HHMI

Existem dois tipos de vacinas que previnem contra os tipos de HPV que mais causam câncer de colo do útero: a vacina bivalente e a quadrivalente. A vacina bivalente é específica para os subtipos de HPV 16 e 18, enquanto a quadrivalente previne contra os tipos 16 e 17, que estão presentes em 70% dos casos de câncer de colo do útero, e o 6 e o 11, que estão presentes em 90% das verrugas genitais.

A duração da vacina

A dose recomendada para a vacina Cervarix, contra o papilomavírus humano, pode ser um exagero em algumas configurações, de acordo com uma nova análise. A vacina que previne contra certos tipos de câncer do colo do útero, tem tido fraca adoção, em particular nos países em desenvolvimento. Aqui no Brasil, a série prescrita de três injeções é um fardo financeiro e logístico para aqueles sem fácil acesso aos cuidados de saúde.

Mas uma nova análise de dois testes de eficácia da vacina Cervarix, patrocinada peloU.S. National Cancer Institute e pela GlaxoSmithKline, fabricante da vacina, sugere que uma única dose da vacina confere proteção contra o vírus por 4 anos, assim como duas ou três doses fazem.

Nos testes, as mulheres que perderam as duas doses de acompanhamento de Cervarix ainda apresentavam uma taxa de proteção de 85,7% contra os tipos de HPV 16 e 18, que são as estirpes que respondem por 70% dos cancros do colo do útero e para o qual foi projetado o Cervarix. Mas três doses foram mais eficientes do que uma ou duas para prevenir vários tipos de HPV cancerígenos menos comuns, como o 31, o 33 e o 45. Duas doses espaçadas, com pelo menos 6 meses de intervalo, pareciam ter o mesmo efeito que três. Esta descoberta abre uma grande oportunidade para que seja ampliado o alcance da proteção contra o vírus para mais pessoas do que já se havia pensado.


Fonte: HPV, News Science.

Anúncios