Acredito que as última décadas foram os anos mais propícios para adquirir formação técnica e acadêmica, isto graças não somente a proliferação dos centros acadêmicos sejam eles públicos ou privados, assim como a facilitação dos financiamentos estudantis e as bolsas de estudos ofertadas pelas instituições de ensino ou pela federação.

Vivemos em um plano de existência nacional as vezes surreal na qual nos deparamos com 2 realidades distintas coexistindo quase que com ares de simbiose, se é que isso fosse possível, tanto no plano biológico, existencial e a nível teórico e figurativo!

Se por um lado ter titulação acadêmica ficou acessível, e o processo de adquirir conhecimento rápido e em alguns casos a custo zero, sim a custo zero pois por conta da internet tem-se acesso a muito material didático digitalizado principalmente em extensão pdf e outras, inclusive livros que em estado físico e impressos tem valores proibitivos a maioria dos estudantes, a quantidade de informação que cresce a cada ano de maneira exponencial gera um que de preguiça de ler… Isto me faz lembrar de uma música defendida em um das grandes festivais de música brasileira na qual Caetano Veloso expressava em dado trecho:

“O sol nas bancas de revista
Me enche de alegria e preguiça
Quem lê tanta notícia
Eu vou… ”  – Alegria, Alegria – Caetano Veloso

Mesmo no meio universitário, nossa geração tem se demonstrado preguiçosa… Lemos o resumo do resumo e as vezes nem isso… Acredito que possuímos a maior taxa de semi analfabetos com título universitário das Américas, quiça do planeta (risos, não tenho como ponderar e tabular este dados…).

Para dar prosseguimento a minha linha de raciocínio e ser fiel ao titubo deste post, vamos falar um pouco sobre o Notório Saber!

A expressão notório saber tem sido utilizada pelas universidades brasileiras para qualificar o professor que não fez um curso de doutorado e que, por isto mesmo, não tem o título de doutor (ou o teria provindo de um doutorado livre), mas possui conhecimentos equivalentes. Foi o caminho encontrado para formalizar um título capaz de atestar conhecimento adquirido fora do ensino formal.

Há quem faça distinção entre o notório saber e o notável saber. Notável é expressão valorativa. Diz a efetiva qualidade positiva do saber de alguém em determinada área do conhecimento. É qualidade do saber que merece atenção, respeito e aplauso. Pode até ainda não ter sido notado, nem aplaudido, mas merece ser notado, respeitado e aplaudido. Notável: digno de apreço ou louvor. Já notório é o que é público, conhecido de todos . Notório, portanto, é o que é notado, é conhecido, referido, respeitado e aplaudido, com ou sem merecimento.

Diferente da livre-docência é o título de “Notório Saber”, que é concedido com base no parágrafo único do art. 66 da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional.

Diante disso, digo, com a facilidade de adquiri conhecimento, em tese deveríamos possuir altíssima taxa de profissionais com Notório Saber, principalmente na área da farmácia! Mas a pergunta que não quer calar é: Porque isto não acontece e Como adquirir o Notório Saber?

Talvez uma das receitas seja ler muito mais que um livro por ano,  e procurar se aperfeiçoar naquilo que fazemos de melhor, focando em nosso pontos fortes… Acredito que uma mudança de paradigmas também se faça necessária… Fomos programados a acreditar que devemos estudar somente o suficiente para atingir nossos objetivos financeiros e logo esquecer aquilo que não é útil ou fútil, e ao vermos uma legião de semi analfabetos ricos e bem sucedidos tratados como heróis da figura pop atuando em áreas de destaque e glamour nos trás um reforço a este valores distorcidos na qual o ter é mais importante que o ser… Onde a sorte, a malandragem do jeitinho brasileiro é supervalorizada e os estudos depreciados, principalmente quando se atemos ao fato que para ser funcionário público concursado há alta concorrência e os aspirantes devem ter alta capacidade intelectual, em contrapartida, não existe a mesma exigência para ser chefe, graças a nossa tradição de ofertar cargos de confiança nos serviços públicos e ou privados. Ainda temos o fato da área política na qual um semi analfabeto pode chegar ao topo da cadeia alimentar se tornando Presidente deste amado e idolatrado Brasil, isto é Democracia!

Ouve um tempo, a algumas gerações atrás, onde poderíamos perguntar a uma criança o que ela queria ser quando adultas e elas enumeravam: médico, professor, engenheiro… Na atualidade vemos citarem: cantor, jogador de futebol e outras onde não há necessidade de estudos exaustivos e desvalorizados do ponto de vista financeiros.

A cada dia vivemos na fronteira de escolher o que é certo e o que é fácil… Façam suas escolhas! E quem deseja ir contra a maré, sair da companhia das massas e procurar atingir o Notório Saber, bem vindo ao time!

Saudações Farmacêuticas e até a próxima semana !

16105_884992771563339_878131978106998776_n

Anúncios